segunda-feira, 20 de novembro de 2017

Quinta de Salgueiros - Projecto Global de Reabilitação e Valorização do Todo: Casa, Capela e Jardim

Exmos Senhores
Presidente da Câmara Municipal do Porto - Dr. Rui Moreira
Presidente da Assembleia Municipal do Porto – Dr. Miguel Pereira Leite


Exmos Senhores


Em notícia publicada no passado dia 8 de Novembro no Portal de Notícias do Porto pode ler-se o seguinte: “(…) Porto Biolab criará um pulmão verde em Campanhã. É na Quinta de Salgueiros, com cerca de quatro hectares, que está idealizado o bosque urbano para prestar serviços à cidade, sejam eles ambientais, culturais, sociais ou económicos. O designado Porto Biolab ambiciona para aquele espaço uma área piloto na avaliação e otimização dos serviços dos ecossistemas. Neste momento está a ser elaborado o plano de intervenção e as obras de requalificação avançam no primeiro trimestre do próximo ano (…)”.

Permitimo-nos chamar a atenção para o texto e documentos que acompanharam a Petição “Pela Salvaguarda, Classificação e Reabilitação da Quinta de Salgueiros às Antas (Porto) enquanto Espaço Cultural e de Lazer “(1) entregues a V. Exas, bem como para a intervenção feita sobre este assunto na Reunião Pública da Assembleia Municipal do passado dia 6 de Setembro, cujo texto foi também entregue na altura.

Nesses documentos alerta-se para a excepcionalidade desta quinta - exemplar hoje infelizmente raro das quintas dos arrabaldes da cidade do Porto - há muito reconhecida por estudiosos da cidade do Porto e organismos oficiais e, recentemente, reafirmada pelos cerca de 1.000 subscritores da Petição e pela Direcção da Associação Portuguesa dos Jardins Históricos. Esta última refere o reconhecimento público da Quinta pelo seu valor patrimonial e pelo seu interesse histórico e salienta o facto “(…) de ali ter funcionado o viveiro de Jacintho de Matos (m. 1948), um dos maiores jardineiros-paisagistas portugueses da primeira metade do século XX”(2).

Pretende-se portanto, que a casa e a capela, ambas de pedra, sejam alvo de um projecto de reabilitação de excelência passando a albergar um equipamento de carácter cultural e/ou científico aberto ao público. O jardim deve, também ele, ser criteriosamente restaurado, não só no que diz respeito às espécies a reintroduzir (em 2007 sobreviviam ainda “camélias, pinheiros, cedros, ciprestes-do-Buçaco, bétulas, prunus, magnólias, grevíleas, carvalhos-americanos e uma imponente faia”) (3) mas, muito em especial, no que diz respeito ao seu desenho, em patamares, com escadarias, fontes, tanques, bancos, pórticos, óculos, caleiras,… cujas pedras se encontram dispersas por todo o terreno, cobertas de terra, folhas e vegetação infestante.

A quinta dispunha de minas e de um sistema hidráulico – porventura o mais complexo da cidade do Porto - que levava a água dos tanques aos jardins, pomares, hortas e campos de pasto e cultivo. Os túneis, minas e águas que correm no subsolo têm sido objecto de estudo “(…) Na Quinta de Salgueiros, o manancial de Paranhos une-se a outro (o manancial de Salgueiros) e a água passa a percorrer o subsolo da cidade numa única caleira de pedra com destino à Praça Gomes Teixeira. (…)”(4)

Exmos Senhores Presidente da Câmara Municipal do Porto e da Assembleia Municipal do Porto,

Conforme referido nos documentos já entregues, viveram e visitaram esta quinta portuenses ilustres e personalidades marcantes da vida nacional pelo que, este local tem ainda um inegável valor histórico e cultural.

Assim, solicitamos que, antes de qualquer intervenção, seja devidamente estudado, em todas as suas vertentes, este património.

O projecto do Bosque Urbano deverá ser integrado num projecto global de reabilitação e valorização do todo: Casa, Capela e Jardim!

Ficamos ao dispor,
Melhores Cumprimentos

Alexandre Gamelas, Nuno Gomes Oliveira, Nuno Quental, Paulo Ferrero, Paulo Jorge Sousa Costa, Rui Ferreira e José Pedro Tenreiro

(1) http://peticaopublica.com/pview.aspx?pi=PT86412
(2) http://mailchi.mp/a81cc273ba79/nl-ajh-setembro-2017
(3) http://dias-com-arvores.blogspot.pt
(4) https://nationalgeographic.sapo.pt/historia/actualidade/1206-o-rio-que-corre-por-baixo-da-cidade-do-porto

1 comentário:

  1. A degradação da Quinta de Salgueiros é mais um exemplo a acrescentar ao que se passou por ex. com o Palácio do Freixo votado ao abandono pela CMP e cuja «reabilitação», por tardia, se realizou com perda de elementos originais

    ResponderEliminar

Demolição de moradia na R Pinto Bessa / pedido de esclarecimentos à CMP

Exmo. Senhor Presidente da Câmara Dr. Rui Moreira Cc. AMP, SOS Azulejo Constatámos estupefactos a demolição recente da moradia si...