segunda-feira, 24 de maio de 2021

Eventual demolição da estação de Miramar - protesto à CP

À Administração da CP

CC. Sr. Presidente CM VNG, Assembleia Municipal VNG, Sr. Ministro Infraestruturas J Freguesia Arcozelo e media

Exmos. Senhores

Tomámos conhecimento no local que estará decidida pela CP a demolição da icónica estação de comboios de Miramar, em Gaia.

O histórico edifício do apeadeiro foi construído em 1926 segundo projecto do arquitecto Fernando Perfeito de Magalhães, tendo sido publicado em 1927 nas páginas da revista "A Arquitectura Portugueza", situação que comprova a sua importância patrimonial a nível nacional.

Nesse sentido, apresentamos o nosso protesto veemente pela pré-anunciada demolição deste edifício emblemático dos primórdios da arquitectura ferroviária, de cariz ecléctico, romântico e bem exemplificativo de toda uma época em que aquela zona se veio a desenvolver.

Não conseguimos aceitar que a CP, em vez de recuperar e dignificar o apeadeiro, opte por o demolir e substituir por uma construção nova, promovendo a destruição de um símbolo do Porto romântico balnear, que julgávamos ser importante manter e rejuvenescer, e não apagar. Tal desiderato, aliás, contraria o espírito revivalista que se vive um pouco por toda a Europa, em que se recuperam ramais, composições e apeadeiros, promovendo viagens em comboios de época, inclusivamente, e que o actual Governo tem seguido e bem.
Ou seja, queremos e cremos que os nossos Caminhos-de-Ferro se pautem pelas boas práticas internacionais e não por um regresso a décadas recentes em que se destruiu o que importava preservar.

Solicitamos, assim, um esclarecimento por parte da CP confirmando ou desmentindo esta informação, e apelamos à Câmara Municipal de Vila Nova de Gaia para que intervenha nesta matéria, uma vez que este apeadeiro se encontra inscrito no inventário municipal anexo ao PDM, enquanto Elemento com Nível de Protecção Integral (artigo 35), assegurando ambos que este património não será destruído, mas antes dignificado e reabilitado como merece.

Com os melhores cumprimentos


Francisco Queiroz, Alexandre Gamelas, Carlos Machado e Moura, Nuno Gomes Oliveira, Virgílio Marques, Sérgio Braga da Cruz, Belmiro Cunha, Susana Lainho, Francisco Sousa Rio, Augusta Monteiro, Ana Alves de Sousa, Paulo Ferrero, Alba Plaza e Marisa Ferreira, Paulo Sousa Costa

....

Resposta da CP/ IP (26.5.2021)

Ao Fórum Cidadania Porto

No seguimento da vossa reclamação sobre a eventual demolição do Apeadeiro de Miramar, em Gaia, esclarecemos que no âmbito da empreitada da Renovação Integral de Via atualmente em curso, promovida pela IP enquanto gestora da infraestrutura ferroviária, não está prevista a demolição do antigo edifício de passageiros de Miramar, apenas se encontrando contemplada nos trabalhos a demolição dos abrigos de passageiros, os quais por força do alteamento de plataformas, a realizar fora da zona onde aquele edifício se localiza, com o objetivo de melhorar das condições de acessibilidade dos utentes aos comboios, terão que ser substituídos.

Mantemo-nos disponíveis para qualquer outro assunto do vosso interesse.

Com os melhores cumprimentos

Diretora do Departamento de Gestão do Cliente
Sónia Figueira
(Ao abrigo da subdelegação de competências)

quarta-feira, 21 de outubro de 2020

Pedido de reconstrução do mirante e gruta do Parque de S. Roque

Exmo. Senhor Presidente da Câmara Municipal do Porto,

CC. AMP e media

No passado fim de semana verificámos estarem a decorrer obras de remoção de diversos componentes do mirante e da gruta do Parque de S. Roque.

Tendo conhecimento de que este mirante e gruta se encontravam bastante degradados e que necessitavam de uma intervenção, tememos que a intervenção em curso possa deturpar o aspecto e o valor estético e simbólico destes elementos.

Assim, gostaríamos de perguntar se foi realizado um levantamento prévio desta estrutura, de modo a permitir a sua reconstrução e se há alguma empresa de conservação e restauro especializada envolvida na operação a decorrer.

Este conjunto corresponde a um dos componentes arquitectónicos e paisagísticos de maior interesse do parque, datando a sua construção do início do século XX, sendo contemporâneo às várias transformações da casa da família Ramos Pinto ali existente.

Por este motivo, pelo valor de conjunto que estabelece com o restante parque e pela sua raridade, uma vez que são poucos os elementos semelhantes ainda existentes, vimos apelar a Va. Ex.a em defesa de uma reconstrução destes elementos tão fiel quanto possível à sua forma original, respeitando os seus aspetos técnicos e dos detalhes especiais deste tipo de estruturas em cimento armado imitando ramagens de madeira.

Apresentamos os nossos melhores cumprimentos

Antero Leite, Francisco Queirós, Nuno Gomes Oliveira, Paulo Ferrero, Susana Lainho, Virgílio Marques, Belmiro Cunha, Sérgio Braga da Cruz

segunda-feira, 24 de junho de 2019

Palacete Tv. Requesende - Pedido ao Presidente da CM Porto

Ex.mo. Senhor Presidente
Dr. Rui Moreira


C.C. AMP e media

Tomámos conhecimento da eventual demolição integral de um palacete sito na Travessa de Requesende (nº 388), caso a Câmara Municipal do Porto aprove o projecto de construção nova para aquele local, submetido aos v/serviços de Urbanismo (Processo nº 116421/19).

Alertamos Vossa Excelência para o facto de o palacete em questão não estar em risco de ruína, pelo que tal demolição, mesmo tendo em conta o facto (estranho) de o edifício não estar incluído na Carta do Património, será sempre extemporânea e contrária às boas práticas internacionais relativamente a construções em logradouros de antigas quintas, como é o caso.

Trata-se de um imóvel da primeira década do século XX, que é perfeitamente recuperável, para uso compatível. A sua fachada coberta de azulejos está protegida por Lei (desde 2017), pelo que a sua demolição será ilegal. A demolição do seu magnífico portão, provavelmente dos anos 1870-1890, será, além de uma imensa falta de sentido do que é a Arquitectura, um atentado ao Património.

Apelamos, por isso, a Vossa Excelência, para que dê indicações aos serviços no sentido de indeferirem liminarmente tal projecto, e transmitam ao proprietário a necessidade de preservarem e recuperarem o palacete, muros, gradeamentos e portões incluídos.

Em relação à construção nova que, imaginamos, será o argumento apresentado para a “boa rentabilidade” do projecto, a mesma poderá ser concretizada no logradouro do edifício em apreço, desde que obedecendo à percentagem de superfície permeável imposta pelo Plano Director Municipal para o lote em questão.

Com os melhores cumprimentos

Alexandre Gamelas, Francisco Queiroz, José Pedro Tenreiro, Malcolm Millais, Nuno Gomes Oliveira, Paulo Ferrero, Susana Lainho e Belmiro Cunha

Fotos: NDMALO-GE

sexta-feira, 31 de maio de 2019

Edifício Emporium - Confeitaria Cunha - Apelo ao Presidente CM Porto

Exmo. Sr. Presidente da Câmara Municipal do Porto
Dr. Rui Moreira


Cc. AMP e media

No seguimento de imagens vindas a público (https://residential.jll.pt/empreendimento/emporium-porto/?utm_campaign=Portugal%20-%20Residential%20-%20Emporium%20-%2030%20maio%202019&utm_medium=email&utm_source=Eloqua&emp=9745905&elqTrackId=b1f7005a0ea14a3bb37c2406fab8fba9&elq=56722b72c35543379c9ab3dde4bbd840&elqaid=21563&elqat=1&elqCampaignId=11946&fbclid=IwAR3WgCd9uZkYyFEv7na-03Qsnp-PsqjKitBfRBtlHtg0Co4C-v8348U5z1Y#.XPDUp4hKiHu) dando conta do projecto de remodelação do Edifício Emporium, onde está instalada a Confeitaria Cunha, recentemente abrangida pelo "Porto com Tradição", verificamos, para nossa grande surpresa, que o dito implica a transformação da fachada do edifício ao nível do seu piso térreo, ou seja, precisamente a fachada daquela loja projectada pelos arquitectos Victor Palla e Bento d'Almeida, entre 1973 e 1980.

Apelamos a V. Exa. para a necessidade urgente da CMP tudo tentar para assegurar a manutenção do desenho actual da fachada da Confeitaria Cunha, que é indissociável da loja. Ainda que o espaço do estabelecimento no gaveto da Rua Guedes de Azevedo e Rua Sá da Bandeira já não esteja afecto ao restaurante da Confeitaria Cunha, protegido pelo programa "Porto com Tradição", a fachada referida deve ser entendida como parte integrante do espaço protegido.

No mesmo sentido, e tendo em conta o excepcional valor arquitectónico do Edifício Emporium, projectado pelo arquitecto José Porto em 1947, apelamos à salvaguarda dos elementos que compõem os seus espaços comuns (escadarias e átrios), que nos parece irem desaparecer se se concretizar o projecto de remodelação tal como nos é dado a ver pela imobiliária acima referida.

Com os melhores cumprimentos

Alexandre Gamelas, José Pedro Tenreiro, Marta Martins Mendes, Paulo Ferrero, Sérgio Braga da Cruz, Virgílio Marques, José Marques, Rita Adrião Carretas, Augusta Monteiro, Malcolm Millais e Susana Lainho

sexta-feira, 17 de maio de 2019

Demolição de moradia na R Pinto Bessa / pedido de esclarecimentos à CMP


(7 de Maio de 2019)


Exmo. Senhor Presidente da Câmara
Dr. Rui Moreira


Cc. AMP, SOS Azulejo

Constatámos estupefactos a demolição recente da moradia sita na Rua de Pinto Bessa, nº 498, uma moradia que, conforme deverá ser do conhecimento de V. Exa., tinha projecto do arquitecto Francisco de Oliveira Ferreira, datado de 1913.

Até 2005, essa moradia, que continha um friso de azulejos propositadamente concebidos, constava do Inventário Municipal. Subitamente, foi retirado do mesmo.

Numa altura em que a Câmara Municipal do Porto releva o Património da cidade como sua grande prioridade, maior é a nossa estupefacção por esta demolição, que além de revelar uma profunda ignorância dos serviços responsáveis pela sua autorização, poderá configurar propósitos de outra índole, em relação aos quais iremos solicitar a ajuda de quem de direito.

Serve o presente, portanto, para apresentarmos o nosso protesto veemente pelo sucedido e solicitarmos a V. Exa. que nos esclareça quanto à legalidade desta demolição, ou seja, se a mesma decorreu da necessária aprovação pelos serviços da CMP, e, a ter decorrido, quais os pareceres e as justificações para que tal tenha acontecido, e se os elementos ornamentais que constituíam parte da sua fachada, tais como azulejos, serralharias artísticas, etc., foram preservados no banco de materiais que existe para esse efeito.

Com os melhores cumprimentos


Francisco Queiroz, José Pedro Tenreiro, Alba Plaza, Maria Almeida, Marisa Ferreira, Paulo Ferrero, Susana Lainho, Virgílio Marques, Sérgio Braga da Cruz, Rui de Sousa, Carlos Romão, Rita Adrião Carretas, Pedro Figueiredo, Marta Martins Mendes, José Carlos Costa Marques, João Mendes, Nuno Quental, Augusta Monteiro, Nuno Gomes Oliveira e Manuel Ferreira da Silva

(fotos: Porto Sombrio e Alba Plaza)

...

Resposta da CMP (29.7.2019):

quinta-feira, 28 de fevereiro de 2019

Protesto pela anunciada demolição da única moradia de Raul Lino no Porto

Exmo. Senhor Presidente
Dr. Rui Moreira


C.c. AMP, OA e Família Pimentel

Tomámos conhecimento da existência na CMP de um projecto de demolição e construção nova (ref. 260058/18/CMP) que, a ser aprovado pelos serviços que V. Exa. tutela, implicará a demolição da única casa projectada pelo insigne arq. Raul Lino na cidade do Porto, sita no gaveto da Rua Ciríaco Cardoso com a Rua Carlos Dubini.

Esta casa, embora actualmente abandonada e vandalizada, é um exemplar de referência na obra de Raul Lino, tendo sido por este arquitecto destacada no livro "Casas Portuguesas" por si escrito. É de notar que existem poucas obras de Raul Lino na região Norte, sendo esta uma das poucas casas edificadas neste território e a única conhecida na região do Porto.

Serve o presente para apresentarmos o nosso protesto veemente por essa eventualidade e para solicitarmos a melhor atenção de V. Exa. para este projecto que, a não ser corrigido de modo a se preservar e recuperar a referida moradia, significará mais um forte rombo, da exclusiva responsabilidade do actual executivo camarário, no Património da cidade e de todos nós.

Com os melhores cumprimentos

Alexandre Gamelas, Carlos Machado e Moura, Francisco Queiroz, José Costa Marques, José Pedro Tenreiro, Luísa Mendes, Nuno Gomes Oliveira, Nuno Quental, Paulo Ferrero, Sérgio Braga da Cruz, Virgílio Marques, João Mendes, Marta Mendes

Eventual demolição da estação de Miramar - protesto à CP

À Administração da CP CC. Sr. Presidente CM VNG, Assembleia Municipal VNG, Sr. Ministro Infraestruturas J Freguesia Arcozelo e media Ex...